Escoliose Idiopática do Adolescente

Escoliose Idiopática do Adolescente

A Escoliose Idiopática, ou Escoliose do Adolescente, como é conhecida, afeta especialmente essa faixa etária, podendo gerar complicações e até mesmo afetar a auto-estima do adolescente. O tratamento com o especialista contribui para a melhor qualidade de vida do paciente, assim como a reabilitação. O Instituto da Coluna responde às principais dúvidas a respeito. Confira abaixo:

ESCOLIOSE  IDIOPÁTICA – O QUE É?

É o desvio lateral da coluna estruturado, ou seja, o desvio da coluna é rígido e não corrige totalmente quando se procede a correção postural do adolescente.

QUAIS AS CAUSAS PROVÁVEIS?

A escoliose idiopática do adolescente é de causa desconhecida, não há comprovação que bolsas ou mochilas possam causar ou alterar a escoliose.

OCORRE MAIS FREQUENTEMENTE EM ALGUMA FAIXA ETÁRIA?

Ocorre mais comumente em meninas próximo ao período que antecede a primeira menstruação. Mais comum entre 11 e 14 anos de idade.,

Pode ter início antes da puberdade, quando não há sinais de desenvolvimento de caracteres sexuais secundários como: pilosidade pubiana e axilar, broto mamário e estirão do crescimento. Este tipo, pré adolescente é chamado de ESCOLIOSE INFANTIL. Pode ter início tardio após a adolescência, que é a chamada ESCOLIOSE DO ADULTO



QUAIS SÃO AS CAUSAS DA DOR?

A escoliose idiopática do adolescente na maioria dos casos não causa dor, mas com o envelhecimento, ou seja, na vida adulta pode provocar doença degenerativa da coluna, alterações na orientação mecânica do eixo da coluna e causar dor crônica.

EXISTEM GRAUS?


Sim: A angulação é medida pelo ângulo de COBB: <20o. = a escoliose leve
Entre 20 e 40o. = escoliose moderada > 40o.= escoliose de alto valor angular

COMO PODE INTERFERIR NO DIA A DIA DO ADOLESCENTE?

A escoliose idiopática do adolescente geralmente não causa dor e desconforto, os pacientes podem praticar esportes e ter uma vida normal. Nos casos de alto grau (>40o.) os pacientes podem referir algum tipo de dificuldade para suas atividades diárias, principalmente aquelas que exijam maior esforço com a coluna vertebral.

A deformidade causa, em pacientes que apresentam escoliose de alto grau (>40o.) , baixa alto estima, devido a condição estética e muitas vezes atrapalha o relacionamento social.  Como afeta mais as meninas dificulta o uso de roupas de banho, vestidos, roupas justas e etc.. Tudo o que expõe a coluna e mostra a deformidade não é bem aceito pelas meninas.

HÁ COMPLICAÇÕES?

Sim. Pode diminuir a capacidade respiratória por restrição da caixa torácica.

Pode levar a doença degenerativa da coluna lombar causando dor.

Pode comprimir os elementos neurais e causar comprometimento neurológico Estas complicações ocorrem a longo prazo, com o envelhecimento e principalmente nas curvas de maior grau angular (>40o.)

HÁ PREVENÇÃO?

Não.

COMO DIAGNOSTICAR?

Os familiares podem observar assimetria da cintura ou assimetria das mamas nas meninas. Em alguns casos pode se observar a presença de uma gibosidade assimétrica nas costas.



QUAIS SÃO OS TRATAMENTOS?

As escolioses abaixo de 20o são tratadas com exercícios, fisioterapia e reeducação do movimento. A natação tem sido útil no desenvolvimento da musculatura, mas não é tratamento específico para escoliose, porém tem sido muito útil como coadjuvante no tratamento.

Nas curvas entre 20 e 40o -   Pode ser indicado o uso de coletes corretivos e manter o tratamento de reabilitação.

Nos casos mais graves > 40o -  Pode estar indicado o tratamento cirúrgico.

Relação com a auto-estima.

Geralmente o problema com a auto-estima é evidente. Os pacientes não relatam bullying com frequência, não há relatos evidentes de discriminação, porém, sempre há relatos que quando a escoliose é observada por estranhos e o paciente é questionado sobre o que ele tem, há constrangimento e o paciente piora sua auto-estima.

Gestantes portadoras de escoliose podem fazer atividades físicas?

Sim. Podem e devem. Atividades como Pilates, Yoga, Hidroterapia e condicionamento físico com aparelhos  em academia são permitidos.

A atividade física durante a gestação deve ser acompanhada pelo obstetra, ortopedista e fisioterapeuta. A escoliose não impede a atividade física, mas o tipo de atividade, a intensidade e a periodicidade são individualizadas, não existe uma regra. É possível realizar algum tipo de atividade física no terceiro trimestre de gestação.

Compartilhar esse post:

Comentários